Futebol 7 Brasil - Inscreva a sua equipe
REGRAS

Sandro Meira Ricci e Marivan Feitosa são convidados a participar de grupo internacional que irá modernizar as regras internacionais do futebol 7

Os brasileiros participaram da última Copa do Mundo de Futebol e de Futebol 7 respectivamente

14/04/2020 13h32Atualizado há 1 mês
Por: Assessoria de Imprensa
Mudanças a caminho nas regras do futebol 7
Mudanças a caminho nas regras do futebol 7

A Federação Internacional de Futebol 7 (FIF7) convidou grandes nomes da arbitragem internacional para colaborar na padronização e modernização das regras oficiais do futebol 7. Estão participando do grupo de discussão representantes de diversos países do mundo com ampla experiência em mega eventos de futebol profissional e árbitros com experiência em futebol 7 internacional. Além da modernização das regras haverão cursos nacionais e internacionais para árbitros de futebol 7. No Brasil a capacitação será através da Associação Brasileira de Clubes de Futebol 7.

O brasileiro Sandro Meira Ricci, que trabalhou nos maiores eventos esportivos do futebol mundial, entre estes Copa do Mundo FIFA, Copa das Confederações, Olimpíadas e Mundial de Clubes será um dos árbitros com experiência na FIFA que estará colaborando na modernização das regras oficiais internacionais da modalidade. Outro brasileiro que participará é o árbitro Marivan Feitosa, eleito em 2014 o melhor do mundo pela Federação Internacional de Futebol 7 e que apitou a final da última Copa do Mundo entre Rússia e México em Roma (Itália).

“Me senti muito honrado pelo convite recebido de FIF7 para participar da profissionalização do Futebol 7 no mundo. A revisão das regras e o plano de desenvolvimento para arbitragem mundial são passos importantes nessa direção” afirmou Sandro Meira Ricci.

“Sou um dos árbitros mais antigos do futebol 7 brasileiro e nunca vi nada igual ao projeto que nos foi apresentado sobre o que será feito para os árbitros da modalidade. Fico feliz em estar junto de grandes nomes da arbitragem brasileira e internacional e espero dar minha pequena contribuição. São muitas pessoas que tem um enorme conhecimento das necessidades de mudança das regras para que o futebol 7 possa crescer cada vez mais. Chegou a hora do esporte explodir e pra isso é preciso ouvir pessoas do mundo inteiro” afirmou Marivan Feitosa.

Atualmente as regras do futebol 7 são praticadas de forma similar, mas não são padronizadas no mundo inteiro. Na Europa os maiores clubes de futebol do planeta já usam o futebol 7 para formar jogadores. As competições até 11 anos realizadas pelas Federações de futebol profissional são de futebol 7 e o esporte está preparando os atletas para o futuro. Dirigentes dos gigantes europeus consideram completamente fora da realidade formar um jovem atleta cobrando escanteio com as mãos. Inclusive o futebol 7 é a única modalidade variante do futebol 7 que vem utilizando escanteio com as mãos, sendo que futsal e beach soccer que já são esportes FIFA cobram com os pés. Os jovens atletas tem que crescer treinando movimentos que vão realizar quando chegarem na fase adulta.

Este é apenas um pequeno exemplo de como quase todos os países da Europa enxergam os problemas com as regras atuais. Existem ainda outros detalhes a serem discutidos e para isso a FIF7 está fazendo um investimento digno de todo o reconhecimento da comunidade internacional, já que convidou grandes nomes de todos os continentes para fazer parte do processo.

“Estamos muito orgulhosos dos nossos representantes serem dois dos maiores nomes da arbitragem brasileira, um com experiência internacional no futebol 7 e outro com um currículo irretocável no futebol profissional. O futebol 7 precisava desse investimento na modernização do esporte e certamente vamos dar um salto de qualidade” afirmou Wanderlei Ramos, presidente da Associação Brasileira de Clubes de Futebol 7.