APP - F7B
UNI7 - Treinadores
Guerreiras da Bola

Conheça a história da Dra. Nana, médica do Sorocaba e da Seleção Brasileira Feminina de Futebol 7

A médica vem quebrando barreiras e construindo uma história de respeito na modalidade

Guerreiras da bola

Guerreiras da bolaHistórias incríveis de mulheres que venceram o preconceito e falta de apoio pra entrar em campo.

22/10/2020 14h43
Por: Assessoria de Imprensa 2
Foto: Divulgação/ Sorocaba F7
Foto: Divulgação/ Sorocaba F7

Nesta edição da coluna Guerreiras da Bola vamos conhecer a história da Dra. Nana, médica do Sorocaba Futebol 7 e da Seleção Brasileira Feminina de Futebol 7. Formada em medicina desde 2007, Dra. Nana sempre foi apaixonada por futebol e ter a oportunidade de dedicar sua profissão ao esporte tem sido algo fantástico. A médica também ressaltou a importância de estar sempre em busca de um aperfeiçoamento profissional a fim de proporcionar aos atletas um atendimento muito mais completo. 

 

"Sempre fui apaixonada por futebol, minha família toda é apaixonada por futebol. Quando conheci meu marido (Roma Jr., diretor e técnico do Sorocaba Futebol 7) começamos a fazer isso juntos. Ele jogava bola e às vezes eu assistia ele jogando também. Eu já estava fazendo medicina e sempre assistia aos jogos discutindo sobre os temas de medicina esportiva e falava pra ele: 'Que sonho ser o Dr. Runco (na época, médico da Seleção Brasileira de campo). Era tudo o que eu queria na minha vida'. Mas, por questões pessoais eu achei que realmente não tinha campo para isso e eu precisava trabalhar para ganhar dinheiro e não quis fazer medicina esportiva. Decidi fazer geriatria para cuidar dos meus pacientes e ter uma estabilidade. Logo quando me formei, no segundo/terceiro ano, resolvi fazer uma especialização em medicina esportiva também, mas para cuidar de mim, da minha saúde. Lógico que quando temos o gosto pela coisa e quando estudamos um pouco mais acabamos pegando um ou outro paciente que precisa de cuidados na parte esportiva. Então sempre atendi, como clínica geral, além de geriatra, pacientes bem jovens e mesmo entre os pacientes com mais idade eu faço acompanhamento da parte esportiva dos que se presam a fazer. Então eu consegui agregar em vez de perder", contou Nana.

 

A médica contou que a ideia de montar o Sorocaba Futebol 7 surgiu em parceria com o marido, há um ano e meio. DIante da possibilidade de agregar o trabalho ao sonho, Dra. Nana logo assumiu o posto de médica da equipe. "Para quem gosta muito de futebol, ter uma chance de trabalhar com isso, mesmo que seja por hobby, estar dentro do futebol, vivendo o futebol e agregar isso a nossa profissão é uma coisa fantástica", contou a Dra que logo iniciou uma pós em medicina esportiva.

"Paralela à especialização em medicina esportiva também estou fazendo nutrologia para ficar ainda mais completo. Acredito que a alimentação está 100% relacionada ao esporte, melhora a performance. No curso de medicina esportiva era muito superficial a parte de nutrologia então estou me especializando para ficar mais completo o meu conhecimento técnico”, contou.  

 

Apesar da paixão pelo esporte, dedicar sua profissão a esse segmento nem sempre esteve nos planos da Dra. Nana, pois a mesma sabia da grande dificuldade que era viver desse ofício na época. Mesmo diante os desafios, decidiu abraçar as oportunidades e desde que começou a trilhar pelos caminhos da medicina esportiva tem construído uma história de muita dedicação e respeito. 

 

“Eu sabia das dificuldades financeiras, hoje em dia a medicina esportiva tem mais campo mas quando me formei não tinha. Então ela foi deixada ali como uma paixão recolhida, mas graças a Deus esse ano eu consegui tirar do âmbito da paixão e trazer para a realidade. Inclusive, durante a pandemia começamos um projeto de lives no nosso perfil para apresentar os nossos atletas e contar suas histórias. E as nossas lives começaram a tomar uma proporção um pouco maior e a gente começou a chamar e receber pedidos de participação de pessoas de outras equipes do futebol 7. Foi assim que acabamos conhecendo muita gente do futebol 7. Tive a alegria de entrevistar o Chicão e o Preto do Corinthians, tive a alegria enorme de entrevistar o Professor Batata e entre eles também eu tive o imenso prazer e o sonho realizado de entrevistar o Dr. Runco, que foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida. Era um sonho ser ele, seguir os caminhos dele e o que ele fez no futebol de campo eu estou começando a construir no futebol 7. Então ele era uma inspiração para mim e foi maravilhoso poder conversar com ele”, disse.   

 

A conversa com Dr Runco realizou o sonho da Dra. da Seleção Brasileira Feminina de Futebol 7. Durante o bate-papo, Nana pode discutir sobre a evolução da medicina esportiva. "Pouco tempo atrás o médico do esporte tinha que ser ortopedista como se as outras áreas não fossem importantes. Então achei que, por não ser ortopedista, eu fosse ter muito mais dificuldade. Mas a medicina esportiva é um todo e precisamos sim de ortopedistas, ou cardiologistas. Vamos precisar de um outro profissional ligado também ao atendimento de atletas mas uma coisa não exclui a outra”.

 

Dra. Nana também falou sobre o esporte ser uma importante ferramenta na luta por igualdade de gênero e acredita que, mesmo se deparando com muita resistência e dificuldade, as mulheres têm crescido no meio esportivo.

 

“Apesar de estarmos buscando essa igualdade ainda tem muita resistência e algumas dificuldades que nós mulheres enfrentamos nos esportes em geral. Eu, principalmente, entrei cuidando de uma equipe masculina, então eu sabia que isso seria realmente um desafio gigantesco. No começo tive algumas dificuldades de resistência deles seguirem minhas orientações. Uma mulher mandando no homem principalmente com relação a futebol a gente sabe que às vezes eles ficam na defensiva. Mas depois de um tempo a gente conseguiu mostrar o trabalho, a seriedade do que estava propondo para eles e hoje em dia os meus atletas me respeitam 100%. Me defendem onde precisar e confiam demais no meu trabalho. Hoje em dia eu tenho esse feedback, essa confiança sem preconceito por parte deles", declarou.   

 

A estreia do Sorocaba na Taça Governador e a convocação para integrar a equipe médica da Seleção Brasileira feminina também foram os assuntos comentados pela Dra. Sobre a primeira competição oficial do Sorocaba Fut7, Dra. Nana destaca como o momento mais marcante vivido na modalidade. 

 

“Começamos o clube em julho de 2019 e em março de 2020 fomos participar de um projeto tão brilhante como esse. Então foi emocionante demais. Minha primeira vez entrando em campo com os meus atletas foi a maior emoção da minha vida. Infelizmente teve uma emoção ruim também durante o mesmo evento pois tive um atleta com uma lesão séria no joelho durante o jogo, então entrei em campo duas vezes [...] No momento da apresentação e tive de entrar em campo para socorrer meu atleta. Mas sem dúvida esse dia foi o mais emocionante na modalidade", relembrou Nana.

 

 Já sobre a convocação, ela diz ainda não acreditar em tamanha oportunidade recebida. "Era um sonho gigante. Eu não esperava que fosse receber uma convocação como essa tão cedo. Trabalho muito pra isso, mas fiquei surpresa, feliz ao extremo. Ainda não estou acreditando. Às vezes olho as postagens e fico pensando: ‘Gente não pode ser verdade... eu médica da Seleção’. Então fiquei enormemente honrada e feliz com o reconhecimento, com a convocação. Mas a ficha ainda não caiu. Só vai cair quando eu tiver realmente entrando em campo com as meninas”, concluiu.

 

APP - F7B
UNI7 - Treinadores
Itaipava - Institucional
UNI7 - Treinadores
APP - F7B
Municípios
RIOxSP
Últimas notícias
UNI7 - Institucional
Mais lidas
Futebol 7 Brasil - Inscreva a sua equipe
TNT - Institucional