APP - F7B
Copa Sul 2021
Passaporte Carimbado

Presente nas convocações da Seleção Brasileira desde 2017, Rodrigo Rocha relembra as principais experiências defendendo a amarelinha fora do país

O jogador esteve duas vezes no Peru e uma vez na Itália e EUA

Passaporte Carimbado

Passaporte CarimbadoO blog apresenta conteúdo especial com relatos de atletas brasileiros 7 que atuaram no exterior

28/09/2020 13h41
Por: Assessoria de Imprensa 2

Hoje é dia de Passaporte Carimbado, onde os craques do Futebol 7 contam como foram suas experiências ao jogar competições internacionais fora do Brasil. Nesta edição, recebemos o goleiro da Seleção Brasileira e da Chapecoense Rodrigo Rocha. O atleta é figurinha carimbada nas convocações da seleção desde 2017 e já esteva em diversos países defendendo o Brasil. Além disso, em 2019 Rodrigo ainda esteve na Rússia, para jogar no time da LIGA FUT7 no CLF e no Uruguai com a Chapecoense, na Liga das Américas.

Vamos conferir o relato do goleiro em relação as conquistas e experiências adquiridas ao longo desses anos.

Em 2016 eu encerrei minha carreira profissional e comecei a jogar a modalidade e disputar as competições da Futebol 7 Brasil. Foi a partir daí que veio minha primeira convocação. De lá para cá tive experiências incríveis.

Viajar e conhecer outros países é sempre uma experiência única e essas viagens são sempre muito importantes. Elas agregam uma experiência tanto em campo, quando você enfrenta adversários, com outros estilos de jogo, mas, principalmente em relação a cultura. Você convive com pessoas que pensam de formas diferente, hábitos diferentes. Isso agrega na sua vida. O mundo não gira só no seu espaço de convívio.

Com a Seleção Brasileira eu já estive no Peru, na Itália e nos Estados Unidos. Com a Chapecoense tive a oportunidade de conhecer o Uruguai e, com o time da LIGA FUT7, estive na Rússia, para a disputa do CFL. Todas as oportunidades são bacanas, mas algumas marcam mais que as outras. Seja por conta de uma conquista ou até mesmo o choque de culturas.

Um dos países que mais me marcou nessas viagens foi a Rússia. Moscou é uma cidade que não é muito comentada aqui no Brasil. Mas chegando lá pude notar como é uma cidade organizada, com transporte público e segurança impecáveis, parques e ruas de uma beleza e cuidado especial.

Para o Peru fui duas vezes, ambas convocadas pela Seleção Brasileira. Em uma dessas oportunidade eu ainda fui para Machu Picchu, logo após a conquista da Copa América de 2018. A questão cultural lá me marcou demais, conhecer a história de um povo que vivia isolado, a milhares de anos atrás, ver as construções, enfim. Essas duas viagens foram as mais marcantes.  

São experiências que somam demais na carreira. Fazer o que gosta e defender na seleção, por exemplo, já é um prazer diferente, uma sensação inexplicável. Espero manter essa minha conquista de estar sempre nas convocações da seleção por, pelo menos, mais uns dois anos. Sigo trabalhando forte e me preparando para isso”, contou o atleta, eleito melhor goleiro de futebol 7 do mundo em 2017.