APP - F7B
UNI7 - Treinadores
MUDANÇA DE REGRAS

A unificação das regras do futebol 7 no mundo é uma das grandes conquistas da modalidade

A mudança fará com que o esporte ganhe credibilidade e respeito no cenário internacional

06/09/2020 12h30Atualizado há 3 semanas
Por: Assessoria de Imprensa 2

A Federação Internacional de Futebol 7 realizou a unificação das regras do esporte no mundo inteiro e o Brasil, que detinha regras completamente diferentes de outras dezenas de países associados a FIF7 também fez parte da construção do novo livro de regras, com a participação de Marivan Feitosa (eleito o melhor árbitro de futebol 7 do mundo) e Sandro Meira Ricci (árbitro brasileiro nas últimas duas Copas do Mundo FIFA). 

"Era fundamental essa atualização. O Futebol 7 esta crescendo e deixando de ser um esporte exclusivamente amador em diversos países e as regras diferentes e também de certa forma ultrapassadas impediam que o esporte ganhasse um crescimento homogêneo e constante nos países associados a FIF7. Essas mudanças são fundamentais para este avanço" afirmou Wanderlei Ramos, presidente da Associação Brasileira de Clubes de Futebol 7, entidade filiada a FIF7.

LIVRO DE REGRAS COMPLETO - Clique aqui

Principais Mudanças

⁃2 x 25 minutos e agora só 5 minutos de intervalo, no máximo
⁃ No máximo 18 Relacionados (não mais 20 por equipe)
⁃ Mínimo de 5 jogadores por equipe pra iniciar ou reiniciar, inclusive na decisão por tiros penais ou por shoot-out
⁃ Obrigatoriedade do uso de colete e da entrega no procedimento de substituição antes de entrar em campo
⁃ Só o técnico pode falar com árbitro, sem reclamar e sem atrapalhar o jogo! Qualquer outro que falar é cartão amarelo
⁃ Se não puder identificar quem falou, dar cartão pro técnico
⁃ Todos sentados no banco, exceto técnico e jogadores em “aquecimento”
⁃ Técnico a no mínimo 1 metro de distância da lateral. Se não tiver espaço, sentado ou em pé no banco de reservas
⁃ Tempo técnico com entrega de papeleta e nenhum integrante da Comissão Técnica dentro do campo. Não há tempo técnico na prorrogação.
⁃ Apenas 1 árbitro em campo
⁃ TLD e cartões contam como infrações individuais e coletivas
⁃ TLI conta apenas como infração individual 
⁃ Carrinho pode, desde que sem contato físico (TLD) e sem colocar em risco adversário (CA), nem usar força excessiva (CV), mesmo sem contato(TLI)
⁃ TLI para a maioria das infrações pessoais e sem contato físico (reclamação, recuo etc)
⁃ Se equipe tiver um jogador suspenso por cartão amarelo ou vermelho no jogo e tomar um gol, não predica mais esperar os 2 minutos.
⁃ Representante continua ajudando em funções administrativas (identificação dos jogadores, guardião do regulamento, preenchimento da súmula etc) mas também pode ajudar o árbitro em lances de conduta violenta, erro de identificação do jogador na aplicação do cartão e gestos ofensivos. Árbitro pode expulsar a qualquer momento
⁃ Goleiro pode cobrar tiro de meta com o pé também. Não vale gol direto de tiro de meta. Bola de área à área pode.
⁃ Se o goleiro lançar e chutar logo em seguida, tanto em um tiro de meta ou após uma defesa. não é mais bitoque. 
⁃ Vale gol direto de tiro inicial e de saída. Não vale gol contra de nenhum reinício.
⁃ Escanteio só com os pés e vale gol olímpico.
⁃ Bola bateu no árbitro é sempre bola ao chão. 
⁃ Não tem mais disputa no bola ao chão. A bola sempre vai ser entregue para o último jogador que tocou na bola ou para o goleiro.
⁃ Tiro de meta pode ser cobrado com os pés ou com a mão pelo goleiro.
⁃ Tiro de meta entra em jogo quando a bola é chutada ou arremessada. Não precisa sair da área penal.
⁃ Bola arremessada de área à área pode
⁃ Adversários tem que ficar a pelo menos 1 m de distância da barreira.
⁃ No shoot-out e no tiro penal, o goleiro tem que ficar em cima da linha até reinício.
⁃ Na decisão por shoot-out, a infração do goleiro vai ser punida com tiro penal e CA (impedir ataque promissor) ou CV (impedir gol)